sábado, 17 de outubro de 2009

ACRE!



Quase metade da população acriana vive na pobreza, com renda familiar mensal per capita de até meio salário-mínimo. Isso é o que revela o relatório divulgado nesta semana pela Unicef, Situação da Infância e da Adolescência Brasileira de 2009. 66,6% das crianças do Acre são pobres.
Em 2007, 1.883 famílias eram "chefiadas" por crianças e adolescentes menores de 18 anos. No indicativo de saúde, o número de casos de aids e taxa de incidência em menores de cinco anos foi a menor da Região Norte, o levantamento mostra apenas o registro de um caso. 6,5 % das crianças nascidas vivas no Estado estavam abaixo do peso no ano passado.

No mesmo período, 5,2 % de crianças e adolescentes de até 17 anos viviam em domicílios sem acesso à água de qualidade, 3,1% na zona urbana e 9,2 na zona rural.

Na educação, 81,8% dos municípios do Acre superou a meta estabelecida pelo Ministério da Educação (MEC). Para que o Brasil atinja o nível de qualidade educacional em termos de proficiência e rendimento dos países desenvolvidos, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) deve evoluir da média nacional, 3,8, registrada em 2005, para um índice igual a 6,0, na primeira fase do ensino fundamental, até 2021.

Nenhum comentário:

Postar um comentário