segunda-feira, 8 de março de 2010

08 de Março

08 de março de 1857, trabalhadoras de um estabelecimento têxtil, localizado na cidade de NY fizeram uma grande paralisação. Tomaram a fábrica e deram início a uma reivindicação para melhor qualidade de trabalho. Algumas principais, diminuição na carga diária de 16 horas para 10 horas, igualação de salários com os homens, pois o trabalho desempenhado era o mesmo e um tratamento digno dentro da atmosfera
de tarefas.
A reivindicação foi contida com total selvageria. As senhoras foram trancadas dentro do estabelecimento, que foi queimado. Aproximadamente 130 tecelãs faleceram carbonizadas, numa ação completamente cruel.
Ao ser criado esta data, não se pretendia apenas comemorar. O esforço é para tentar diminuir e quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857.
Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário