quinta-feira, 29 de abril de 2010

Sem Poder!

O Povo de Deus Fica Sem Poder
Quando Deixa a Presença do Senhor.

O crente que está fora da presença do Senhor se coloca na posição de ser tragado pela adversidade. Fica covarde - corre até mesmo quando não está sendo perseguido. Vive em constante medo do “... leão (que) está lá fora; serei morto no meio das ruas” (Provérbios 22:13). Lembro-me em esta situação também!
Nosso exemplo é Jonas. Este profeta deve ter gozado da presença do Senhor, caso contrário, não teria estado na posição de ouvir uma palavra tão clara de direcionamento: “Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela ” (Jonas 1:2). No passado, estar na presença do Senhor era uma experiência estimulante e de regozijo. Jonas tinha se alegrado em ouvir da restauração e da cura do povo de Deus. Era glorioso partilhar dos segredos de Deus a respeito do futuro.

Mas agora a presença do Senhor lhe fazia uma exigência pessoal. Ele deveria levantar-se e pregar contra o pecado. Deveria ameaçar uma sociedade inteira com julgamento imediato, a não ser que se arrependessem. No entanto, ao invés de obedecer as ordens do Senhor, ”Jonas se dispôs, mas para fugir da presença do SENHOR, para Társis.” (1:3). Sem duvida deve ter aceito um convite para pregar profecias à alguma remota tribo de Israel - talvez até mesmo um convite para pregar sobre a prosperidade de Israel, para os chefes de estado. Menos pregar fogo do inferno, denunciar o pecado, ameaçar o povo com julgamento divino - e menos ainda à uma sociedade corrupta e sem Deus! Não era para Jonas. Recusou o chamado.
Por favor tenha em mente que ele estava fugindo d’Aquele cuja ininterrupta gloria enche o templo. D’Aquele cujo rosto é como o relâmpago. D’Aquele cujos olhos são chamas de fogo, cujo poderoso braço é como bronze polido. Estava correndo d’Aquele cujo olhar dobra joelhos, cuja voz estremece a terra, cuja face fere toda a carne.

Por que um homem de Deus foge d’Aquele a quem ama? Jonas estava com medo dos ninivitas? Era muito orgulhoso para ir? Muito teimoso?
Se você realmente quiser saber por que Jonas fugiu da presença do Senhor, é só dar uma boa olhada para dentro de seu próprio coração. Por que qualquer cristão evita a presença do Senhor? Por que não queremos olhar dentro de Seus olhos flamejantes? Da mesma forma que nós, Jonas não podia encarar a exigência que aquela presença santa fazia dele. Não eram os pecados dos ninivitas que o assustavam - - era o pecado em seu próprio coração que ele não conseguia enfrentar. Havia uma polêmica com Deus em seu homem interior!
Quantos ministros do evangelho deixarão de erguer a trombeta de Deus, e de clamar contra os pecados do povo porque eles mesmos não podem enfrentar Romanos 2:21-22 ? “Tu, pois, que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? Dizes que não se deve cometer adultério e o cometes?”.
Quantos cristãos não ousam levantar a voz contra a corrupção e a cobiça na casa de Deus, porque a cobiça de seus próprios corações os condena ao silêncio? São covardes quanto ao pecado, porque eles mesmos não são vitoriosos. Muitos pais vêem seus próprios pecados aparecerem nos filhos, e são impotentes contra isto. Papai fuma, de modo que não pode condenar os filhos quando são pegos fumando maconha. Mamãe bebe, e depois assiste horrorizada sua filha tornar-se alcoólatra.
Deus não estava a ponto de entregar Seu filho para o diabo. Ele parece ter dito a Satanás: “O peixe é meu; Jonas é meu servo. Você pode levá-lo para uma volta - - afundar com ele, e deixar que tenha um vislumbre do inferno. Mas não pode machucá-lo. E quando Eu perceber que a questão do pecado está resolvida, você o deixará na praia da obediência. Ele tem trabalho para fazer!”.
Foi durante a crise que Jonas lidou com o pecado nele mesmo - de uma vez por todas. O tempo todo tinha sido uma vaidade mentirosa. Tinha estado vivendo uma mentira. A palavra diz, ”Os que se entregam à idolatria vã abandonam aquele que lhes é misericordioso” (Jonas 2:8). Deus viu em Jonas um espírito de orgulho mentiroso. Estava sob engano, ignorante de sua própria condição espiritual. Havia nele pontos cegos, até então não revelados. Tinha estado andando como os gentios de Efésios: “na vaidade dos seus próprios pensamentos, obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração” (Efésios 4: 17-18).
Por que tantos homens e mulheres de Deus, sinceros, estão hoje em crise? Por que tanta adversidade? Por que tão profundos exercícios espirituais? Por que tanta exposição à forças inimigas? É Deus trabalhando! Ele tem permitido estas crises para levar-nos de volta à Sua presença. Para produzir obediência em nós. Para mostrar-nos o quanto temos sido cegos para o que está realmente em nós. Para expor o orgulho, as vaidades mentirosas, a vida dupla.
O Senhor nos mandou ir por todo o mundo e proclamar Sua justiça. Olhamos para dentro de nós mesmos, e nos encolhemos. O povo de Deus ficou covarde. Ministros se enfraqueceram pelo pecado. Então o Senhor preparou uma grande baleia. Multidões estão até agora em sua barriga. Existe solidão, medo, inquietação, duvida. É a hora das algas marinhas e de turbilhão de águas negras.

Mas mesmo no meio da crise existe grande esperança para o cristão. Foi por causa do sofrimento que Jonas clamou a Deus, orou e confessou, e foi renovado. Se você realmente é filho de Deus, Ele não o entregará a Satanás. Ele não o deixará nem se esquecerá de você durante sua crise. Deixe que o Espírito o consuma. Deixe que Ele revele o repugnante em você. Deixe que seus pecados o humilhem e esmaguem. Então, estenda as mãos e volte para a Sua santa presença para ser restaurado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário