sábado, 29 de outubro de 2011

Sentimento Infantil

Crianças têm sentimento

“As pessoas enxergam o mundo por meio de crenças, espécies de lentes construídas nos primeiros sete anos de vida.” Essa frase foi dita pela psicóloga Clarissa Yakira para o jornal Estado de Minas e, assim que a li comecei a pensar em tudo o que é injetado nas pessoas ao longo de sua infância.
Frases como: “Você não presta”, “Deixa de ser burro”, “Como você é gorda”, “Você não serve para nada”, e muitas outras, são ditas a todo o momento por alguns pais, professores e pessoas de influência na vida das crianças. Essas pessoas agem inúmeras vezes como se a criança não tivesse sentimento e tal atitude não tivesse nenhum efeito sobre elas.

É importante pensar que todos nós chegamos ao mundo como um computador novo que chega a nossa casa. O computador vem com os programas necessários para o seu funcionamento, mas não tem informações pessoais, as quais serão colocadas à medida que o utilizamos. Já o ser humano nasce com o instinto de sobrevivência que nos faz ter fome, vontade de dormir, nos relacionar e cabe à família nos ‘encher’ com as informações necessárias para nos tornarmos pessoas boas. Isso nos faz analisar a importância do ensinamento e do cuidado que devemos ter com as crianças.

Aprendemos no Novo Testamento que devemos consagrar os nossos filhos a exemplo de Maria e José que levaram Jesus ao templo cumprindo o costume dos judeus de entregar o primogênito a Deus. Mas, isso não significa missão cumprida.

Como está escrito em Provérbios 22.6: “Eduque a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele.” Entendemos que nosso papel como líderes e principalmente, como igreja é ensinar as crianças a verdade sobre Jesus e seu reino. Ainda assim, somente falar não fará o efeito desejado. É preciso ministrar diariamente sobre a nova geração palavras de bênção, educando e exortando com carinho e amor, respeitando-os como filhos de Deus.

Não posso imaginar Maria e José dizendo para Jesus que Ele não servia para nada ou que Ele era “burro”. Os pequeninos, como Cristo os chamou, também sofrem e se machucam com palavras e atitudes frias, e essas feridas podem ser levadas por toda a vida frustrando sonhos e fazendo com que corações se fechem para o amor de Deus. Não é isso que o Pai espera de nós.

Vamos plantar a boa semente nesses pequenos corações para que na colheita encontremos bons frutos.


Sara Amaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário